CPI dos Fura-Filas vai ouvir suspeitos de burlar informações

CPI dos Fura-Filas vai ouvir suspeitos de burlar informações
Deputados reafirmaram a gravidade das denúncias - Foto:Guilherme Bergamini
https://youtu.be/XiUcmXRbL4Q

Áudio de reunião entre possíveis ex-servidores aponta para tentativa de proteger funcionários vacinados irregularmente.

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Fura-Filas da Vacinação vai ouvir três ex-servidores da Secretaria de Estado de Saúde, suspeitos de tentar burlar informações à comissão e ao Ministério Público sobre a imunização irregular de funcionários que não pertencem aos grupos prioritários. Requerimentos com a convocação dos servidores foram aprovados em reunião da CPI realizada nesta sexta-feira (23/4/21), na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

Consulte o resultado e assista ao vídeo completo da reunião.

A reunião teve por objetivo discutir o conteúdo de um áudio vazado na quinta-feira (22) pela imprensa de Belo Horizonte, que teria sido gravado durante uma reunião entre o ex-chefe de gabinete da secretaria, João Márcio Silva de Pinho, o ex-assessor-chefe de Comunicação do órgão, Everton Luiz Lemos de Souza, e outros dois servidores não identificados. Os dois funcionários foram convocados como investigados e, ainda, a ex-assessora-chefe de Comunicação da Secretaria, Virgínia Cornélio da Silva, todos exonerados pelo Estado.

A CPI também vai enviar o arquivo da gravação para a Polícia Civil, para tentar identificar os interlocutores, atestar se foi feita pelos integrantes da reunião ou terceiros e se houve manipulação do conteúdo do áudio. A gravação também foi encaminhada para o Ministério Público, para elucidação dos fatos e responsabilização dos envolvidos.

Gravação aponta prática de crimes

O presidente da CPI, deputado João Vítor Xavier (Cidadania), afirmou que, se for constatada a veracidade do conteúdo do áudio, ficará comprovada a prática de três delitos: falsidade ideológica, peculato e desvio de bem público e prevaricação.

A gravação traria a combinação dos servidores para alterar uma resolução interna, a fim de proteger alguns que estavam em regime de teletrabalho e tomaram a vacina. Há, ainda, a sugestão de que os beneficiados retornem ao trabalho presencial, como forma de burlar as informações repassadas para a CPI.

Deputados que participaram da reunião da CPI reafirmaram a gravidade da denúncia e pediram cautela na apuração. São eles: o relator da CPI, deputado Cássio Soares (PSD), e os deputados Ulysses Gomes (PT), Repórter Rafael Martins (PSD), Zé Guilherme (PP), Roberto Andrade (Avante) e Guilherme da Cunha (Novo).

Outros requerimentos – Durante a reunião, também foram aprovados dois requerimentos para solicitar informações à Secretaria Municipal de Saúde e à Prefeitura de Betim (Região Metropolitana de Belo Horizonte) sobre o processo de vacinação do deputado Professor Irineu (PSL).

Outro requerimento pede à diretora de Vigilância de Agravos de Transmissíveis da Secretaria de Saúde, Janaína Fonseca, a cópia integral das listas originais com o nome dos servidores imunizados.

Fonte: Portal da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).