Santana do Paraíso realiza segundo LIRAa de 2022

Santana do Paraíso realiza segundo LIRAa de 2022
Índice de infestação do Aedes Aegypt está em médio risco

A Prefeitura Municipal de Santana do Paraíso realizou do dia 4 a 8 de abril mais
um Levantamento do Índice Rápido para o Aedes Aegypti (LIRAa), é o segundo de
2022. Atualmente, o município ficou em 2,3%, o que representa médio risco de
infestação do mosquito. O índice ficou bem abaixo do de janeiro, quando foi
registrado 7%, representando um avanço no trabalho dos agentes de endemias
em campo.
Os bairros com maior infestação foram Industrial, AABB, e Residencial Bethânia
(2,8); seguidos por Centro, São José, Veraneio, Josefino Anicio, São Francisco e
Residência Paraíso (2,5); Águas Claras, Bom Pastor, Cidade Verde, Jardim
Vitória, Parque Caravelas (2,2); Cidade Nova, Parque Veneza e Chácaras do Vale
(1,7). A maioria dos focos do mosquito foi encontrada dentro das casas, em
recipientes que acumulam água como vasos de plantas e baldes, além de calhas,
latas, cascas de ovo, tampinhas de garrafa e sacolas.
A supervisora geral dos agentes de endemias, Maria Aparecida de Sousa, lembra
que ovo do Aedes Aegypti pode sobreviver por um ano em recipiente seco. Em
condições ambientais favoráveis, após a eclosão do ovo, o desenvolvimento do
mosquito até a forma adulta pode levar um período de 10 dias e ele vive durante
30 dias. Uma única fêmea produz de 60 a 120 ovos em cada ciclo reprodutivo e
pode ter mais de três ciclos durante sua vida. Por isso, a eliminação de criadouros
deve ser realizada pelo menos uma vez por semana.
“Devemos tirar pelo menos 10 minutinhos por dia e olhar nossos quintais. Então,
vamos cuidar! Nossa saúde é muito importante e se der uma transmissão de
dengue e covid-19 ao mesmo tempo, a situação do paciente pode se agravar.
Fiquemos atentos, vamos fazer a nossa parte e não deixar somente para os
agentes de endemias [que passam a cada 60 dias]”, disse.